terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

REFLEXÕES (minhas) SOBRE A NOVA PONTE.


O que vejo na verdade são pessoas torcendo para que a ponte não venha. E expõem seus desejos como fossem descrédito na possibilidade da construção. Mas já me acostumei com isto. Muitos ilheenses querem acidade assim. Parada, atrasada, envolta nesta nuvem de desânimo e paradeiro. Torcem contra a ponte, o porto, o aeroporto, as estradas, contra o novo hospital e por aí vai. Alguns querem mesmo Ilhéus parada nos anos 50.
Assim podem continuar se sentido coronéis, arrotando arrogância e intransigência que hoje em dia só podem mesmo ser expostas na mesas de cafezinhos ou de bares,por que na prática o poder já mudou de mães e muitos não suportam. Torcer contra Ilhéus para muitos é bom. Querer a cidade pobre e fraca para outros tantos também é bom. Assim podem justificar suas incompetências empresariais, comerciais, pessoais e familiares em nome da situação da cidade.Assim Ilhéus leva a culpa e pronto.
Mas entendo que nossa Ilhéus é tão forte que segue sobrevivendo a estes sanguessugas e dará a volta por cima como tem dado desde sempre.
Aspecto virtual da nova ponte centro/pontal

A nova ponte será um avanço. Será moderna, bonita e virará mais uma atração turística para esta já linda cidade apesar dos urubus. Quem venha a ponte. Seja feita pela OAS, pela UTC, ou pela PQP. Quero Ilhéus forte com progresso, com emprego e renda para os trabalhadores e que ela continue vencendo a estes que na verdade não a amam, querem ela pequena e tacanha para continuarem se sentindo grandes enquanto ela estiver pequena e atrasada.

HOSPITAL REGIONAL: DIREÇÃO SEGUE CONSEGUINDO MELHORIAS

A diretoria do Hospital Geral Luís Viana Filho em ilhéus, está comunicando a comunidade mais uma vitória da gestão na tentativa de melhoria das condições gerais do hospital.

Nesta luta incansável eles buscam entendimentos e apoios de todos os setores da sociedade e segundo os novos gestores estas parcerias começam a dar resultados positivos. Ao tomar conhecimento da luta travada pela nova direção pra ‘arrumar’ a casa recebemos


um enorme apoio do Ministério Público do Trabalho que está ajudando o Regional significativamente. Assim com o apoio do MPT foi possível reformar a clínica cirúrgica, quartos, corredores com pintura total, limpeza e reorganização e substituição de todas as camas por leitos hospitalares novos e modernos.

Os novos leitos
“Estamos muito felizes porque é isto que estamos buscando.A melhoria da qualidade da estadia dos pacientes com mais conforto e tranquilidade para os usuários e melhoria das condições de trabalho aos funcionários servidores e médicos da casa”, disse Dr. Cláudio Moura Costa diretor geral do HGLVF.


As novas estações de trabalho
Além de se preocupar com as condições dos internados e daqueles que buscam atendimento emergencial, os funcionários e servidores da casa também tem tido atenção especial por parte da nova equipe gestora. Tanto que já foram reformadas várias salas do setor administrativo trocando-se as velhas mesas, por modernas estações de trabalho, adquiridos novos computadores e aparelhos de ar condicionado e várias salas foram reformadas melhorando significativamente as condições de trabalho.
Raimundo Mota - Diretor administrativo do HRLVF 

“Viemos aqui para trabalhar pelo hospital e melhorar as condições gerais desta unidade hospitalar, seja para os pacientes, funcionários e servidores, equipe médica e enfermagem, é isto que estamos buscando com afinco e se Deus quiser vamos continuar conseguindo. Disse Raimundo Mota novo diretor administrativo.

segunda-feira, 23 de março de 2015

Hospital Regional vai reformar o setor de emergência e o descanso médico

Preocupado a com situação dos usuários do hospital Regional de Ilhéus o  diretor Dr. Cláudio Moura Costa, solicitou em caráter de urgência à Secretaria de Saúde da Bahia uma requalificação do setor de emergência e a viabilização de uma nova entrada para a unidade hospitalar.


A reforma geral do Hospital continua
“O atendimento ao publico aumentou em função da precariedade do atendimento nas unidades básicas de saúde do município, fazendo com que o hospital receba um grande de número de pacientes que facilmente seriam tratados num posto médico”, afirma o Dr. Claudio Moura Costa. “Não vamos  abrir mão de oferecer um serviço de qualidade aos pacientes, por isso é fundamental requalificar a emergência e melhorar o acesso do púbico”, afirma.

 “Vamos lutar para continuar atendendo  a todos que nos procuram, com o melhor acolhimento possível. Ao mesmo tempo vamos procurar melhorar as condições de trabalho dos funcionários da instituição”, destaca o Dr. Claudio Moura Costa.
Preocupado também com a situação da equipe de profissionais, a nova direção do hospital está realizando numa reforma, que vai     proporcionar maior comodidade para os plantonistas que poderão  descansar em ambiente com conforto e tranquilidade para que se possam prestar um bom serviço a população.

quarta-feira, 4 de março de 2015

Cláudio Moura Costa demonstra força e recebe apoio do Governo do Estado

Na queda-de-braço com esquema Cláudio fez um ponto positivo.

O processo de aprimoramento da gestão do Hospital Luiz Viana Filho que vem sendo conduzido pelo diretor geral da unidade, Claudio Moura Costa, ganhou um reforço de peso. Com o objetivo de valorizar os profissionais de saúde, um novo modelo contratual será proposto em 90 dias pela Secretaria da Saúde da Bahia (Sesab) aos médicos do hospital, em Ilhéus.
O secretário Estadual dando total apoio a Claudio Moura 
O compromisso foi assumido pelo subsecretário estadual da Saúde, Carlos Emanuel Melo, que, por determinação do Secretário Estadual da Saúde Fabio Vilas-Boas, esteve na unidade hospitalar nesta terça-feira (3), reunido com Claudio Moura Costa e representantes dos médicos, a fim de atender a demanda antiga dos profissionais e ajudar a solucionar o tensionamento que vinha acontecendo nos últimos dias entre a diretoria e os profissionais.

"Vamos avançar em um modelo de relacionamento contratual que reflita a realidade da saúde e garanta, simultamenteamente, a prestação de serviços aos pacientes com qualidade e remuneração adequada aos médicos", ressaltou Carlos Emanuel.

Na opinião do médico ortopedista Aldemir Almeida, "a presença do subsecretário na reunião com representantes dos profissionais foi fundamental para construir uma proposta de composição que atenda a todos, médicos, governo e pacientes", afirma

terça-feira, 3 de março de 2015

Armação tenta inviabilizar o novo diretor do Hospital Regional. Indicação do Secretário de Saúde e do Governador Rui Costa.

Caos no Hospital Geral Luiz Viana Filho, em Ilhéus. Uma parte significativa do quadro médico da instituição ameaça pedir demissão e o atendimento - que já não era bom - começa a ganhar contornos de "desespero" para quem precisa de atendimento.
Fábio Villas Boas e Claudio Moura Costa. Total apoio do Governador Rui

Tudo começou quando a direção do hospital passou a exigir que todos os médicos escalados para o plantão - cerca de sete por turno - permanecessem no hospital.

Há muitos anos há um acordo "branco" entre os colegas que permite que nem todos os plantonistas fiquem na unidade. Alguns vão para "casa" e aguardam a chamada em caso de emergência. A nova direção resolveu acabar com isso. Os médicos não gostaram. E reagiram. Nesta "guerra" estabelecida, óbvio que a linha, mais uma vez, terminou quebrando para o lado mais fraco: a população, que sofre a espera de atendimento.

Nesta segunda-feia não havia nenhum pediatra atendendo a população. A justificativa divulgada pelo Hospital Geral era de que o profissional estava de férias. Pessoas com sintomas da dengue também estão retornando da recepção do hospital. Não há médicos para atendê-los. Além dos pediatras, clinicos gerais, ortopedistas e cirurgiões também resistem à medida anunciada pelo novo diretor.

Ontem, um médico umbilicalmente ligado ao senador Otto Alencar, assegurou que já "pediu a cabeça" do diretor Cláudio Moura Costa, um profissional considerado trabalhador mas sofre com dois problemas: não tem respaldo político-partidário, já que foi indicado na cota pessoal do secretário Fábio Vilas Boas; e tem pouco jogo de cintura com os colegas, que o acham "arrogante".

"O que o novo diretor quer é que seja cumprido o que foi estabelecido no contrato de trabalho. Não tem por que médico de plantão ficar aguardando ser chamado em casa", revelou uma fonte, que o defende. Até agora, Cláudio preferiu o silêncio e alega que este problema interno terá que ser resolvido "internamente".

Aliás, esse "acordo branco" não é de hoje. Nem tampouco a tentativa de derrubá-lo. Quem tentou, caiu primeiro. Cláudio Moura Costa assumiu o cargo de diretor geral alicerçado na proposta de "mudar comportamentos" na instituição. Esta é a primeira tentativa. Não se sabe se conseguirá. Nem se terá uma segunda chance.

Nota do Blog.  O que está acontecendo no Hospital Regional não é uma mera zanga dos colegas irresponsáveis. Existe isto, pois há muito tempo que se ouve dizer que os médicos fazem o que querem ali com total subserviência dos diretores anteriores, faltam, enganam, assinam ponto sem trabalhar e muito mais. Mas a  verdade é Muito mais é uma articulação política de setores contrario ao PT e ao Governador que não desejam ver o Regional prestando um bom serviço.

Fonte: Jornal Bahia On Line

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Ônibus só rodarão hoje para voltar para as garagens, mas levarão passageiros

Os motoristas dos ônibus que compõem o transporte coletivo de Ilhéus, decidiram não voltar a trabalhar mais hoje e continuar o protesto iniciado as 11 da manhã de hoje.
Segundo informações, eles estão protestando devido a uma agressão sofrida por um motorista durante uma discussão de trânsito com um policial civil.
Os motoristas se revoltaram com o fato e decidiram protestar  paralisando o transporte.
Mais uma vez quem está sofrendo é a população que passou o dia sem ônibus que teve que percorrer grandes distâncias a pé.
Os motoristas então resolveram levar a população de volta para casa apenas no sentido centro-bairro mas, bairros que se localizam próximos às garagens das empresas, portanto, zona sul e Iguape.
Existe a possibilidade de que o movimento continue amanhã.

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

Sumiço de garoto leva a Bahia ao banco dos réus na OEA

O caso do Davi Fiuza [na foto em destaque], que desapareceu há 40 dias, depois de uma abordagem da polícia, na qual há testemunhas de que ele foi sequestrado e colocado amarrado em um carro. Outras mães aqui tiveram os filhos assassinados ou desaparecidos, sem nenhum tipo de resposta efetiva do Estado, também procuraram Alexandre Ciconello, assessor de Direitos Humanos da Anistia Internacional, que vai denunciar a Bahia na OEA. Organização dos Estados Americanos.

Davi Fiúza que segundo denúncia desapareceu em uma operação policial
A mãe de Davi Fiuza, Rute Silva, relatou como o filho foi sequestrado, no dia 24 de outubro. “Às 7h30, houve uma operação policial no bairro Vila Verde e meu filho, como todo menino curioso, ficou olhando. De repente, ele foi encapuzado, teve amarrado os pés e as mãos e acabou jogado num carro descaracterizado. Havia muitas viaturas da polícia por perto, segundo as testemunhas. Desde então, procurei todos os meios legais e jurídicos, fui ao instituto Médico-Legal, nos campos de desova (de cadáveres), mas nada”, disse.

A Anistia Internacional declarou que o caso de Davi Fiuza e de outros desaparecidos serão levados à ONU e a Comissão Interamericana de Direitos Humanos (OEA).